Voltar ao topo.

Cidade berço da Chapecoense é polo agroindustrial no Sul do país

» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:ensino, instaladas, conglomerado, ramo, alimentos, brf, dono e marcas429 palavras6 min. para ler
Cidade berço da Chapecoense é polo agroindustrial no Sul do paísVer imagem ampliada
Chapecó é a 7ª maior economia de SC e emprega 78,3 mil pessoas.

Com pouco mais de 200 mil habitantes, Chapecó não se destaca apenas por ser berço do clube de futebol Chapecoense – envolvido em um trágico acidente de avião na madrugada desta terça-feira (29). É também conhecida como a capital da agroindústria e principal polo de desenvolvimento econômico no oeste de Santa Catarina.

Sétima maior economia do estado, Chapecó emprega 78,3 mil pessoas com carteira assinada, segundo a Associação Comercial de Industrial de Chapecó (Acic).

O total de pessoas ocupadas na cidade, incluindo autônomos, é de 90,5 mil, segundo os dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com um PIB de 7,7 bilhões, a cidade catarinense abriga 21,8 mil empresas, com forte atuação não só na agroindústria, mas também nos setores de serviços e no comércio, informou a Acic ao G1.

Grandes empresas ligadas à cadeia da indústria da carne estão instaladas na cidade. A mais conhecida é o conglomerado do ramo de alimentos BRF, dono das marcas Sadia e Perdigão, com três unidades em Chapecó.

Outra grande empresa com matriz na cidade é o grupo Aurora, principal patrocinador privado da Chapecoense e terceiro maior grupo da indústria de carnes do país. Em nota após o acidente aéreo, o grupo lamentou a tragédia e informou que ajudou a fundamentar a transição para um clube de êxito, desde o tempo em que o time “era apenas uma promessa”.

Além das empresas que atuam no agronegócio, o parque industrial da cidade é formado pelos setores de plásticos e embalagens, transportes, móveis, bebidas, biotecnologia e maquinários para frigoríficos.

A construção civil e o comércio também são grandes empregadores na região. Segundo a Acic, empresas de tecnologia ligadas a automação e comunicação estão entre as que mais crescem na cidade.

Região metropolitana

A atividade econômica de Chapecó é beneficiada pelo entorno da região metropolitana, que abriga cerca de 2 milhões de habitantes no oeste catarinense e produz muita riqueza econômica com os setores da agropecuária, indústrias do leite e da madeira, segundo  a Acic.

Por ser referência entre as cidades do oeste catarinense, Chapecó também se especializou no turismo de negócios, mobilizando o setor hoteleiro e uma estrutura de serviços de transporte, hospedagem e companhias aéreas para atender a demanda na região. Também abriga o principal aeroporto da região, com fluxo de cerca de 500 mil passageiros por ano.

Chapecó possui ainda um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,790, segundo o IBGE, o 67º maior do Brasil e 12º em Santa Catarina. Segundo a Acic, 20% da população possui formação superior, com 26 instituições de ensino na cidade.

Fonte:http://g1.globo.com
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it